sexta-feira, setembro 18, 2009

Um GP de Formula 1 (parte final - ja' era hora...)

Previously on Lost!

... no fim da balada!
- "Ae... ta' afim de ir pro GP de Formula 1 em Monza daqui 3 semanas??"
- "obvio!! bora la'"

... balada!
... sono
na manhã seguinte: momentos constrangedores na frente do espelho e eu digo pra mim mesmo:
- "mas você hein?!?"

pé na estrada, check in no hotel e eles descobriram que havia apenas 2 camas - uma de casal - para passar a noite
momentos de tensão!
- "dois ou um!!!"

... balada!
... sono


Acordei as 6:30 com um susto, era o alarme de incêndio que tocava. O alarme era de verdade, mas ele tocava no celular de um dos brasileiros. Demorou uns 30 segundos para eu entender tudo que estava acontecendo e poder identificar onde diabos eu estava. Levantei ainda sem coordenar direito os músculos do meu corpo(meio cambaleando de sono) e fui pro chuveiro. Um banho é algo sempre revigorante, mas naquela altura do campeonato so' deu vontade de dormir mais. Sai do banho e nesse meio tempo o pessoal também foi tomar banho fechar as mochilas.

As 06:50 o italiano ligou dizendo que ja' estava na porta do hotel esperando por nós. Saímos, pagamos a conta do hotel (o atendente foi tão delicado quanto um elefante numa loja de cristais) e fomos pra casa do italiano que é "do lado" do autódromo. Foi so' o tempo do italiano estacionar o carro na garagem para sairmos. Nós tínhamos que chegar cedo pra pegar um bom lugar (é nisso que da' comprar o ingresso mais "barato").

Como eu disse, o autódromo é do lado da casa do italiano, mas o local onde iriamos ficar tinha que dar uma volta enorme. Assim, pra resumir a peregrinação, imagine o local onde o Judas perdeu as botas, quando você chegar la', caminhe por mais uns 20 minutos, vire a esquerda e ande mais um pouco. Pronto!!! chegamos!

Chegamos??? Sim, mas no local onde estávamos não dava pra ver a pista. Juro!! não dava pra ver a pista. Havia um desnível de mais ou menos 1 metro, uma cerca de segurança, outra cerca de segurança, uma barreira de pneus e dai sim a pista. Resumindo, dava apenas pra ver o telão que ainda ficava atrás de uns galhos. Quando eu vi o local eu pensei... "pô, paguei 70€ pra ficar numa valeta no meio do mato??", ao menos era um lugar com sombra.

Acontece que 4 nerds juntos tinham que achar uma solução para o problema. Como no mundo atual nada se cria e tudo se copia, começamos a observar o que as pessoas ao redor (que estavam literalmente acampadas la') haviam feito. Solução: vamos construir um andaime pra ficarmos em um ponto mais alto.

Foi ali que coloquei em pratica todo o meu conhecimento adquirido no "Manual do Escoteiro-Mirim", mas havia um porém... vamos construir onde? como? com o que?

Escolhemos usar a primeira cerca de segurança como apoio e enquanto dois guardavam a "base", outros dois batedores saiam em busca de matéria-prima para construir o tal andaime. Leia-se matéria-prima como galhos e pedaços de madeira. Ali eu me senti na idade da pedra e o nosso maior desejo naquele momento era ter um instrumento afiado (podia até ser uma pedra amarrada em um osso com cipo') pra poder cortar as pontas dos galhos que havíamos encontrado por perto. Pois bem, não tinha...

Usando os dois banquinhos de um dos brasileiros como apoio e algumas forquilhas foi possível criar a base do nosso precário andaime. Em pouco mais de 30 minutos ele estava pronto. Fizemos alguns testes pra ver se aquela bugiganga iria aguentar o peso dos 4 e finalmente paramos pra descansar um pouco.

Acontece que o descanso não durou muito pois logo começou a Formula BMW. Barulho de motores e alguns pilotos rodando bem na nossa frente. No final dessa corrida a primeira surpresa: o Hino Nacional Brasileiro (e não foi cantado pela Vanuza). O vencedor foi o brasileiro Felipe Nasr.


Na sequência veio a GP2. Mais carros, mais barulho, mais rodadas e mais uma vez o Hino Nacional Brasileiro, dessa vez foi o brasileiro Luiz Razia que venceu a prova.

Antes da F1 ainda teve a Formula Porshe, so' que ali não tinha nenhum brasileiro pilotando.

Finalmente a hora mais esperada: a Formula 1. Desfile dos pilotos, volta de apresentação, muito, muito barulho (so' quem ja' foi na F1 sabe do que eu falo - não existe palavras pra descrever, bom... EU não tenho essas palavras hehehe). O final dessa corrida todos sabem: foi o Rrrrrrrrrrrrrrrrrruuuubbiiiiiiiinhhooooooo quem chegou em primeiro lugar e ouvimos o o Hino Nacional Brasileiro pela terceira vez no dia.

Saldo:
4 corridas;
3 brasileiros em primeiro lugar (quem disse que eu sou pé-frio?);
1 obra de engenharia, ou quase... (o tal andaime);
pouquíssimas horas de sono;
4 horas de viagem de volta a Antibes; e
4 pessoas muito felizes com tudo o que aconteceu (aqui eu não me refiro ao fato dos dois brasileiros terem que dormir juntos numa cama de casal).

The End!

4 comentários:

Desabafando disse...

ahahahahahahha......adorei! Fiquei imaginando a cena, mas ainda estou surpresa com o fato de vcs terem encontrado material pro tal andaime? rsrsrsrsrs.....E que caro, pagar tudo isso pra ficar no meio do mato...rsrsrsrs....

Agora estou triste com o final da série, quero mais! rsrsrsrs....

Maiçá Chaves disse...

uahuahauhauhua..mas no fim das contas, foi otimo né?
Aiii, qnd a gente ta fora do brasil, sempre que escuta o hino, dá uma saudade né?
Vo fica loooco pra voltar pra sua terrinha, num sei cntg, mas cmg era foi assim!
sempre q ouvia o hino, ligava pra minha mãe!
kkkkkkkkkkkkkk

bjos

p.s: adooorei teu blog!
seguirei!

disse...

UAHAUHAUH e de novo me fazendo rir. AUHAUHAUAH a vanuza, hahahaha não canso de ver isso. MEUDEUS!

E que foda ver uma corrida com saldo positivo pros brasileiros, hein? hahaha
AH, quanto ao meu texto, não.. não é uma historia real.. pelo menos AINDA. haha beijo

Déia disse...

Parece um programa de índio, mas no fim deu tudo mais do q certo!

Chorou no hino? Eu choraria!

bj