sexta-feira, agosto 29, 2008

vette

- Eu vi um vette.
- Chevette??
- não... Corvette!!!




Isso fez lembrar aquela piadinha:

- O que você vai fazer se ganhar os 25 milhões da loteria? - pergunta o amigo.
- Eu vou mandar "recapear" os pneus da frente do meu chevette... "tah meio careca" :-p

quinta-feira, agosto 28, 2008

terça-feira, agosto 26, 2008

Ter dinheiro é outra coisa...

Estava eu passeando por Monaco quando me deparei com isso:



... e existem caixas como essas por toda a cidade.

Pensando com os meus botões "ter dinheiro é outra coisa" e ao mesmo tempo "quanto tempo duraria uma coisa dessas no Brasil"?

Dependendo do lugar, menos de 15 minutos apos a instalação.

segunda-feira, agosto 25, 2008

Monaco



Em Monaco, pela "bagatela" de 85 €, você pode dar uma volta no Autodramo de Monte Carlo dirigindo uma Ferrari
. Alguém topa?

domingo, agosto 24, 2008

Fotos de hoje


Na cidade de Nice

Place Masséna



Biblioteca de Nice


Vista da Promenade des Anglais

Mastercard?

Protetor lombar € 21,00
Consulta médica € 60,00
Resina* € 15,00
Passagens não reembolsaveis e perdidas € 150,00

Passar 6 semanas sem poder aproveitar o verão daqui: não tem preço



* Resina é o substituto do gesso que, na teoria, é mais leve.

sábado, agosto 23, 2008

quarta-feira, agosto 20, 2008

O diario de um atropelado: parte 10

A visita ao médico foi, digamos, menos do que eu esperava. Fez até eu lembrar da piada "esperava mais de vc Batman..." (essa fica pra outra oportunidade)

A consulta durou exatamente 15 minutos. Dentro desse tempo o médico me recebeu, perguntou como eu estava, olhou o meu Raio-X, preencheu uma série de formularioS necessarios, cobrou a consulta, deu troco, fez o recibo, mostrou a saída e disse que quer me ver de novo quando eu tirar o gesso. Até parece que o médico fez estagio no McDonalds

Resultado: Felizmente fui liberado pra voltar ao trabalho. Não aguentava mais ver o Brasil perder em todas as modalidades das olimPIADAs

segunda-feira, agosto 18, 2008

O diario de um atropelado: parte 9

Semana passada eu recebi uma carta da senhora (ou senhorita!?) que me atropelou.

Jah de inicio eu posso dizer que este segundo "contato" foi muito melhor que o primeiro (quando eu fui literalmente arremessado apos a batida no carro dela) ;-)

Na carta ela diz que sente muito pelo acidente e explica que não me viu. Sinceramente eu acredito nela e também porque eu acredito que ninguém em sã consciência quer atropelar um ciclista.

Antes da carta ela jah havia ligado algumas vezes. Todas as vezes ela falou com a Servane (minha colega que estah cuidando da papelada do acidente). Hoje a tal mulher ligou novamente pra saber como eu estou e a Servane passou o relatorio dos ultimos dias...

Agora vamos torcer para que o seguro dela cubra, o mais rapido possivel, todas as despesas que eu estou tendo.

P.S. Hoje vou ver o médico de novo. Soh resta torcer pra ele me liberar pra voltar ao trabalho.

Fotos

Tiradas em Palm Beach - Cannes



domingo, agosto 17, 2008

O diario de um atropelado: parte 8

Passado o desafio de tomar banho resolti partir para algo maior, como por exemplo, fazer a barba.

Ja fazia un 7 dias que eu não me barbeava e eu não era mais capaz de aguentar duas coceiras: 1 - a barba, 2 - o braço

O item nro 1 tem solução, então lah fui eu. Sinceramente achei que seria muito mais dificil, mas até que não foi. Claro que o trabalho foi facilitado pela Gillette Mach 3 e o creme de barbear (muito bom). Apesar de algumas partes não terem ficado 100% sai ileso, ou seja, sem nenhum corte.

O item nro 2 é mais delicado. O problema da coceira entre o ombro e o cotovelo eu "resolvo" com uma pequena espatula de plastico. Ja a coceira entre o cotovelo e a mão não tem o que fazer a não ser esperar...

quinta-feira, agosto 14, 2008

O diario de um atropelado: parte 7



Eu acho que todos sabem das dificuldades de ter apenas um braço operacional, mas algumas coisas tem as suas particularidades:

1 - Tomar banho: não é apenas o fato de não poder usar o braço, mas também ter que cuidar pra não molha-lo. A simples tarefa de "empacotar" o braço pra ir ao banho jah é um desafio. Outra coisa dificil é o shampoo. Quanto colocar? ... e direto na cabeça, uma vez q uma das mãos estah imobilizada.

2 - Calçar as meias e amarrar o tênis: sem comentarios.

3 - Digitar tudo com a mão esquerda: o texto que normalmente eu escrevo em 30 segundos agora leva uns 5 minutos.

Ainda deve ter outras coisas que eu vou descobrir com o tempo...

O diario de um atropelado: parte 6

Como diz o Alexandre "jah estah parecendo novela Mexicana".

Essa é uma foto de ontem de manhã com o pulso imobilizado:




Ontem a tarde eu fui numa clinica na cidade de Mougins para fazer um novo Raio-X da minha mão.

Conforme o médico suspeitou, eu tenho uma pequena fratura no osso scaphoide. Terei que ficar com o braço imobilizado por 6 semanas :-(

Segundo o radiologista esse tipo de fratura não é detectada no dia do acidente, somente apos un 5 dias.

Sai da clinica com o braço assim:

quarta-feira, agosto 13, 2008

O diario de um atropelado: parte 5

O médico com o qual eu consultei ontem a tarde foi o mesmo que prestou os primeiros socorros na hora do acidente.

Durante a consulta ele contou que o pai dele também foi atropelado de bicicleta alguns anos atras, exatamente no local onde eu fui atropelado. As apalavras dele foram:

"Você teve muita sorte!!!"

Na hora eu não dei muita importancia pq eu tenho ouvido isso desde o dia do acitende. Durante a consulta o médico contou detalhes do acidente do pai dele, que resultou em fraturas na bacia, braço e no rosto, além de alguns dias em coma. Então eu fui obrigado a concordar:

"Eu tive muita sorte!!!"

terça-feira, agosto 12, 2008

O diario de um atropelado: parte 4

Fui no médico hoje a tarde.
Depois de uns apertões e uma meia-duzia de gritos o medico (um osteopata) constatou que eu posso ter uma costela trincada e que não foi constatado no raio-X. Além disso ele tem uma grande suspeita de que eu tenho uma fratura na mão.

Resumo da opera: Mais 5 dias de atestado (proibido de trabalhar), uma tala na mão, vou precisar fazer novos Raio-X da mão e voltar ao médico na terça.

segunda-feira, agosto 11, 2008

Audi R8

uma amostra...

... de como foi o show "cover" do Pink Floyd na semana passada.

Banda P.U.L.S.E.

PULSE EN CONCERT

domingo, agosto 10, 2008

forte...

Forte Montalban




e de lah tem essa vista:

O diario de um atropelado: parte 3

Estive lendo sobre um dos remédios que estou tomando: o Dextropropoxyphène Paracétamol e descobri que ele é uma versão 15 vezes mais fraca que a morfina (ahhh morfina hehehehehe), fazendo parte assim do grupo dos apioides, usados no tratamento de dores.

Fora todo o lance psicodélico do grupo dos apioides, segundo as minhas pesquisas (não extensivas) em algumas situações o Dextropropoxyphéene Paracétamol pode ser menos eficiente que um placebo (ops!). O remédio pode ser receitado em uma série de situações que variam de dores pos-traumaticas médias a moderadas (meu caso) até casos de diarréia.

Desta forma eu posso concluir que o medicamento parece ser tão bom que além de suavisar a dor não me deixou "borrar as calças" :-)

Um dos efeitos colaterais do Dextropropoxyphéene Paracétamol é a intoxicação do figado podendo causar dores estomacais, nauseas (meu caso) e vômitos.

que fase!

sábado, agosto 09, 2008

O diario de um atropelado: parte 2

... o embarque na ambulância foi totalmente psicodélico. Parecia cena de filme. Ao mesmo tempo que dava vontade de chorar (de dor e susto) eu tinha vontade de rir. Imagine a cena: você deitado e vendo o as coisas passarem ao redor da sua cabeça, o mundo parecia estar ao avesso. Como eu estava totalmente imobilizado na maca, a única coisa que eu podia movimentar eram os meus olhos.

Dentro da ambulância eles verificaram a minha pressão arterial e ela estava OK. Primeiro bom indicio de que nada muito grave tinha acontecido, porque se tivesse uma hemorragia interna a pressão iria dar o sinal amarelo.

Depois da pressão veio o mais estranho. Fiz o teste do bafômetro. Sim, isso mesmo, o "teste do fabômetro". Até entendo que esse seja o procedimento padrão, mas pensem comigo:
- Estaria eu bêbado as 8:00 h da manhã de uma quinta-feira, no caminho de casa para o trabalho e andando de bicicleta???

Soh espero que eles tenham feito o teste do bafômetro também com a motorista que me atropelou, senão vai soar no minimo estranho...

...voltando à historia, apos uns 15 minutos "passeando" de ambulância cheguei ao hospital na cidade de Antibes. Lah eu fui transferido da ambulância para uma maca e esperei aproximadamente uns 20 minutos até um médico chegar. Ele olhou pra mim e saiu. Então começou a parte mais longa, quase duas horas numa sala esperando alguém aparecer. Pelo menos nessa hora eu jah não estava mais amarrado. As 10:50 da manhã o médico voltou fez o exame preliminar, receitou os remédios (com soro na veia) e finalmente fui para o Raio-X. Eles fizeram Raio-X da cabeça, coluna, quadril, braço direito, mão direita, tórax e talvez de mais algum lugar que eu não lembro.

Fui transferido mais uma vez pra uma sala de espera (ainda na maca) até receber a noticia:
"Felizmente nada quebrado, foi soh (?!?) uma pancada forte".

Na sequência coletei urina pra ver se não havia sangue e se os rins estavam bem. Tudo em ordem também.

Burocracia, papeis e por volta das 13:30 eu saia do hospital andando precariamente.

Depois de almoçar e descançar um pouco em casa fomos na farmácia comprar os remédios e um "cinto lombar" (é assim que chama) pra proteger a coluna. No final da tarde fui pra delegacia dar a minha versão do ocorrido (algo muito próximo do que descrevi aqui).

Na terça-feira da proxima semana eu vou ao médico novamente, então terei novidades :-)

Para os conhecidos mais sordidos, ai estah uma foto minha com o protetor servical:



sim... estou com cara de chapado :-p

sexta-feira, agosto 08, 2008

O diario de um atropelado: parte 1

Tudo começou ontem: 07 de agosto de 2008.

Como eu faço praticamente todos os dias de manhã, levantei, tomei café, escovei os dentes, peguei a bicicleta e fui trabalhar.

Eu havia percorrido um pouco mais 80% do trajeto casa-trabalho quando o fato ocorreu.

Foi numa rotula chamada Carrefour des Bouillides. Aqui na França, como em muitas cidades no Brasil, a preferência é de quem estah na rotula, então eu diminui a velocidade, vi que não tinha nenhum carro na rotula e continuei pedalando.

Eu descia no sentido Route du Parc D103 e deveria continuar nesse mesmo sentido conforme o mapa. Exatamente onde se encotra o ponto B (no mapa) tem outro acesso à rotula. Este acesso, assim como a rotula, é de pista dupla. Na pista da direita eu vi um carro preto parando e na pista da esquerda não havina nada. Mesmo assim eu dei aquela olhada basica soh pra desencargo de consciência. Não vi nenhum veiculo... então continuei. Aproximadamente 5 segundos mais tarde um carro (não sei a cor e nem o tamanho) bateu em mim. A motorista veio em alta velocidade na pista da esqueda (ao lado do carro preto) e entrou na rotula sem parar.

Na hora do impacto eu senti uma dor forte no lado direito do meu corpo. Depois disso fui jogado para para a pista da esquerda da rotula, perto do canteiro central. Da hora do impacto até eu parar passou um monte de coisas na cabeça... desde "merd@, fui atropelado" até "puts... estou longe de tudo e de todos e praticamente não falo a lingua local".

Apos a queda eu tentei levantar, mas não consegui. Meu braço direito doia muito e eu tinha uma dor extremamante forte nas costelas (também do lado direito). Fiquei deitado no asfalto e em seguida alguns carros pararam, inclusive um médico que passava por lah. Este médico prestou a primeira assistência e ficou comigo até a ambulância chegar.

Quando a ambulância chegou eu recebi o procedimento padrão, fui imobilizado e conduzido para o hospital.

continua...

quinta-feira, agosto 07, 2008

saldo

Um carro,
Uma bicicleta
Um arranhão na testa,
Um protetor cervical,
Arranhões no ombro, cotovelo e joelho direitos,
Uma luxação no pulso direito,
Uma ambulancia,
Policia,
Quatro horas e meia no hospital,
Nenhum osso quebrado,

assim foi o meu atropelamento...

quarta-feira, agosto 06, 2008

P.U.L.S.E.

Pelo titulo jah dah pra ter uma idéia do que se trata...

Ontem a noite nos fomos pra uma cidadezinha que fica uns 50 km daqui pra assistir um show. Foi bem bacana. Fomos por dois motivos:
1 - O show era de graça (eita gringo pão duro)
2 - A banda P.U.L.S.E, como o proprio nome sugere, é um cover do Pink Floyd.

Pra quem ja assistiu algum show da banda Immigrant no teatro do CIC em Floripa, eu posso dizer que o show de ontem foi de qualidade similar ou melhor, porém com uma diferença: era ao ar livre.

... e o show terminou com isso:

Foto da cidade de Nice




Essa foto foi feita com a união de 3 fotos.

clique na imagem para aumentar...

sábado, agosto 02, 2008

eu e o meu para-raios de loucos...

Sabado fui passear e, claro, me perdi... hehehe mas nessas horas eu adoto a filosofia da minha ex-chefe "você nunca estah perdido, estah passeando pela Europa" (mesmo que isso signifique não ter a menor idéia de qual lugar da Europa vc estah) ;-)

Fui até Nice de ônibus e para a volta eu combinei de pegar uma carona de Antibes pra casa. Assim eu teria que voltar de Nice para Antibes e aguardar a carona. Graças a um mapinha providencial retirado de uma lista telefônica, tudo correu bem.

Entretanto, a minha viagem de volta (Nice-Antibes) teve o seu momento sordido.

Jah na estação de trem de Nice eu vi uma figurinha estranha. O homem tinha um aspecto de quem nasceu na India (até ai nada demais) mas as roupas que ele usava eram MUITO estranhas. (apelando pra minha capacidade descritiva) o tal individuo usava uma camisa social aberta uns 4 botões. A camisa continha varias tonalidades de marrom e amarelo, ele vestia uma saia (sim, uma saia) com outras cores estranhas que o meu cérebro não foi capaz de processar, e um pano por cima do ombro... isso tudo eu vi de uns 10 metros de distancia e jah pensei comigo "tomara que esse louco não venha no meu vagão".

O trem chegou, eu entrei e não deu outra. Dois minutos apos eu entrar no trem o "ser" em questão passa pela porta, olha pra um lado, olha para outro lado e resolve sentar no banco em frente ao meu (veja o esquema)


Pra ter uma idéia no "naipe" da figura, além da combinação das roupas eu pude observar que ele usava um oculos de grau, mas havia outro oculos de grau na capeça, ele tinha uns 10 brincos na orelha esquerda e mais uns 4 na orelha direita. Além disso usava pulseiras, aneis e uma série de pinduricalhos no pescoço.

Alguém pode pensar "mas como o Leandro sabe tantos detalhes?"
1 - O cara sentou quase na minha frente;
2 - Como se não bastasse isso, ele começou a falar comigo.

Ele falou algo em francês que eu não entendi nada, então eu disse q soh falava inglês e tal.

Nessa altura do campeonato ele abriu um pacote de M&M e com a boca cheia começou a arranhar um inglês mais do que cachorro... Pra minha surpresa ele perguntou se eu não queria trabalhar de vendedor da "loja" dele (nem quero imaginar que tipo de coisa ele vende).

Nessa hora o cérebro funcionou rapido... disse que eu estava de férias e tal. Então a figura perguntou no que eu trabalhava e eu cometi erro de dizer duas simples palavras: computer science (ahhh se arrependimento matasse).

Foi dizer isso e ele começou a me encher de perguntas sobre o windows e outros softwares.

Felizmente uns 10 minutos apos o bombardeio de perguntas ele chegou ao seu destino e eu pude fazer o resto da viagem em paz.