domingo, outubro 30, 2005

mudança

pois é, mudei de ap mais uma vez, espero q seja a última pq essa vida quase-nômade tá me tirando do sério.

quinta-feira, outubro 27, 2005

essa é a ilha da magia

Homem é assassinado no meio da rua, perto da UFSC

Eu por mim mesmo e mais um momento auto-reflexivo!

Eu torço!!!

ahh... vcs não tem idéia de como eu torço pra que uma pessoa como aquela que me sacaneou NUNCA precise de mim, pq se ela precisar... eu vou ajudar da melhor maneira possível e talvez assim ela consiga entender um pouco o sentido da frase "ajudar o próximo".

ainda... se uma pessoa assim conseguir entender essas pequenas (mas importante) coisas, vai sentir tanta vergonha por aquilo q fez q vai desejar colocar a cabeça num buraco e não se importar com o resto, por isso eu torço!

quarta-feira, outubro 26, 2005

em contra partida...

SER FELIZ !

Ser feliz não é ter uma vida perfeita;
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver
apesar de todos os desafios e perdas.
Ser feliz é deixar de ser vitima dos problemas
e se tornar autor da própria história
Ser feliz é uma conquista e não obra do acaso.

tá é meio pseudo-filosófico, mas as vezes ajuda.

Músicas q refletem o nosso dia-a-dia

Bad Day
(Daniel Powter)


Where is the moment we need at the most
You kick up the leaves and the magic is lost
They tell me your blue skies fade to grey
They tell me your passion's gone away
And I don't need no carryin' on

You stand in the line just to hit a new low
You're faking a smile with the coffee to go
You tell me your life's been way off line
You're falling to pieces everytime
And I don't need no carryin' on

Cause you had a bad day
You're taking one down
You sing a sad song just to turn it around
You say you don't know
You tell me don't lie
You work at a smile and you go for a ride
You had a bad day
The camera don't lie
You're coming back down and you really don't mind
You had a bad day
You had a bad day

Well you need a blue sky holiday
The point is they laugh at what you say
And I don't need no carryin' on

You had a bad day
You're taking one down
You sing a sad song just to turn it around
You say you don't know
You tell me don't lie
You work at a smile and you go for a ride
You had a bad day
The camera don't lie
You're coming back down and you really don't mind
You had a bad day

(Oh.. Holiday..)

Sometimes the system goes on the blink
And the whole thing turns out wrong
You might not make it back and you know
That you could be well oh that strong
And I'm not wrong

So where is the passion when you need it the most
Oh you and I
You kick up the leaves and the magic is lost

Cause you had a bad day
You're taking one down
You sing a sad song just to turn it around
You say you don't know
You tell me don't lie
You work at a smile and you go for a ride
You had a bad day
You've seen what you like
And how does it feel for one more time
You had a bad day
You had a bad day

segunda-feira, outubro 24, 2005

santa inocência...

Desde a sexta-feira da semana passada (10 dias mais ou menos) estou dividindo um ap com mais 3 pessoas: um rapaz da Índia, um rapaz e uma menina da Macedônia.

Domingo da semana passada, perto do meio-dia estávamos o indiano e eu em casa e eu disse que iria fazer um cachorro-quente para o almoço. Acabei convidando o indivíduo para almoçar comigo e ele disse que sim.

Almoço pronto, devidamente alimentados, louça lavada, tudo ok.

Sexta a noite o carinha larga a frase:
"Eu sou vegetariano"

... e pior, ele disse que nunca tinha ouvido falar em cachorro-quente :-)

então eu me pergunto:
'será q na índia não tem "Hot Dog"? ou ele foi realmente ingênuo?'

Este é mais um mistério das diferenças culturais.

quinta-feira, outubro 20, 2005

estranho

Alguém já sentiu dor no músculo (se é que ele existe) na frente da canela?

eita vida sedentária :-)

P.S. - Bom, o músculo com certeza existe senão eu não sentiria as dores :-p

sexta-feira, outubro 14, 2005

A história do apartamento

Desde que eu cheguei na Eslovênia eu não tive sossego no quesito moradia. No primeiro mês eu passei nada menos que em QUATRO lugares diferentes. Rapidamente: sai do ap onde eu fiquei por 12 dias, passei uma noite na casa de um (verdadeiro) amigo, 10 noites em um albergue e finalmente no ap onde então eu passei quase 3 meses.

Esse pula-pula de um galho para outro se deve ao fato de ser extremamente difícil encontrar um lugar pra morar em Liubliana, principalmente quando se trata de um período menor que 12 meses (8 meses no meu caso) e os preços praticados aqui são um verdadeiro assalto (variam de 500 a 800 euros por mês). Assim, a solução encontrada foi ficar num ap do instituto onde eu trabalho... porém.... é permitido ficar nesses apartamentos por apenas 3 meses, depois disso eu deveria dividir outro ap com alguém, pois o ap estaria no nome dessa outra pessoa e eu não teria problemas.

Bom... depois a correria do primeiro mês os responsáveis pelo meu alojamento aqui pediram pra mim se depois dos 3 meses, quando encerraria o meu período no atual ap se eu aceitaria dividir um ap com um estudante da Espanha.
- Por mim tudo bem, desde que cada um tenha o seu quarto, sem problemas.
... e a ssim ficou acertado.

Passados quase três meses mudei mais uma vez para aguardar meu colega espanhol que chegaria em menos de 10 dias. Logo após a mudança eu já pressenti que poderia ter problemas pois o novo apartamento tinha apenas 1 quarto e um de nós deveria dormir na sala-cozinha ou então dividir o quarto, pois neste quarto tinha 2 camas de solteiro.

Dois dias para a chegada dele eu recebi um e-mail-bomba!! Ele não era ELE, mas sim ELA. Alguém pode dizer: “Legal!!! Dividir um ap com uma mulher!!”, mas eu digo que não é bem por ai... vamos deixar esse tópico para outro post...

12 de outubro a dita espanhola chegou e no primeiro momento ela foi bem receptiva, mas somente após chegarmos ao ap, a secretária, ela e eu, foi que ela teve noção do que estava acontecendo e da real situação da nossa moradia.

Moradora nova “entregue” em casa, voltei ao meu trabalho, ela e a secretária foram pra sabe-lá-Deus-onde. No final do dia ao voltar pra casa encontrei a menina já em casa. Conversamos por mais de 2 horas e ela explicou q também não sabia que eu era ELE e não ELA. Passamos maior parte do tempo tentando encontrar uma solução para o problema em questão. Foi então que ela deu a idéia de que aquele que levantasse mais cedo automaticamente ficaria dormindo na sala... também acordamos de no dia seguinte ir falar com a secretária na esperança de poder mudar para outro ap com 2 quartos. No caso de impossibilidade de mudar, iriamos adotar o plano alternativo discutido anteriormente. Nesse momento fiquei um tanto quanto aliviado, pois os problemas estavam praticamente solucionados, bastava decidir quem iria permanecer na sala.

Ontem, como combinado, fomos falar com a secretária sobre a situação em questão e tal... explicamos q seria bastante desconfortável ter um de nós morando na sala-cozinha, teriamos problemas de privacidade e assim por diante. A resposta da secretária foi: "este é o único ap disponível e que eu não vejo outra solução para o caso".

Neste exato momento a espanhola me surpreendeu dizendo que ela não iria aceitar aquela situação do jeito que estava e também não aceitaria “viver” por 2 meses e 1/2 (periodo que ela vai ficar em Liubliana) naquelas condições, independentemente de quem fosse ficar hospedado na sala (ela ou eu), ou seja, ou mudamos para outro ap ou alguém terá que sair! Duas pessoas de sexo diferente sem nenhum tipo de relacionamento próximo (primo, irmão, namorado e afins) usando uma área comum como quarto é inaceitável.

(Hhããã?!?!?! Como??? Ouvi direito???)

Nesse momento fiquei verdadeiramente chocado, pois isso foi exatamente o contrário de tudo o que nós haviamos conversado e acordado na noite anterior, em resumo, ela mudou de idéia.

Bem, não é muito difícil imaginar tudo que passou na minha cabeça no momento em que ela expressou as suas verdadeiras intenções, e também a minha cara... mas o pior ainda estava por vir. Como o ap está no nome dela (eu não posso ter o ap no meu nome, pois já fiquei hospedado em um por 3 meses – regras da instituição) o meu maior temor se tornou realidade! A secretária disse:
“Leandro, então vc terá que sair!!”
(Sair??? Mas ir pra onde?)

A primeira sugestão foi mudar para um hotel... completamente sem noção. No mesmo minuto descartei essa possibilidade maluca, pois nem de longe eu tenho $$ pra ficar mais 3 meses e 1/2 em um hotel.

Depois de algumas ligações e muita conversa em esloveno a secretária me disse que a partir do próximo mês terá uma vaga em uma casa de estudante e eu poderei mudar pra lá, mas provavelmente antes disso, mudarei mais uma vez, já que a minha admirada-falsa-e-duas-caras colega de apartamento não aceita a situação atual. Agora é esperar e ver o que vai acontecer...


Resumo da ópera... puta raiva daquela senhorita (falsa) e um dia completamente improdutivo, por que será???

quinta-feira, outubro 13, 2005

puts... conseguiram estragar com o meu dia

... e olha q não é fácil fazer uma coisa dessas!!!

quarta-feira, outubro 12, 2005

problemas

problemas, problemas e problemas!!

mais um feriado

... e mais um dia de muito trabalho.

terça-feira, outubro 11, 2005

justificativa

Antes que comecem a me chamar de vagabundo e coisas do gênero, venho a público fazer a minha defesa.

Os textos publicados nesse blog normalmente são redigidos (palavra bonita e dá mais valor) nas minhas horas vagas, se é que aluno de doutorado tem isso, principalmente a noite e postados durante o dia, pois não tenho conexão com internet em casa.

eu por mim mesmo em (mais um) momento reflexivo-ranzinza

Pois é... inspirado pelos tópicos do blog do Gesser e da Ju e alguns acontecimentos na minha vida pessoal eu coloco a questão no ar:

"Quem é pior? Um sem-noção ou um folgado".

Saio em defesa de alguns sem-noção pela provável ingenuidade dessas pessoas. Agora os folgados são pessoas que sabem que estão agindo de maneira incorreta e fazem isso pelo seu bel prazer.

tá Leandro... chega... vai trabalhar agora!

segunda-feira, outubro 10, 2005

Fernandinho Beira-Mar está em Floripa

nem vou expressar a minha opinião pq vou acabar falando mais do que devo...


Oscilando da revolta para o humor...

Alguns anos atrás em uma conversa entre 3 pessoas:
- Bahh viu que prenderam o Fernandinho Beira-Mar? - Diz Fulano1
- Sim... ouvi falar - respondo
- Quem é esse? - pergunta Fulano2
- Você nunca ouviu falar? - Pergundamos Fulano1 e eu ao mesmo tempo
- Não - responde Fulano1
- Pois é... esse é um trombadinha q vendia sandalhas havaianas roubadas na Av. Beira-Mar aqui em Floripa, por isso do apelido - Diz Fulano1
- ahhhh!! - Fulano2

Então... o fato é real e o Fulano2 realmente acreditou.

Pensamento (?!)

Quando se vive sozinho em um país onde vc não entende a língua nativa, vc aprende a cultivar o silêncio, domar o pensamento e dar mais valor às suas palavras.

é fogo...

Depender das outras pessoas para tratar de assuntos particulares é complicado.

sexta-feira, outubro 07, 2005

Das aventuras de um sem-noção: Especial Londres-Veneza.

Londres. Mais um pouso pouco delicado.
O aeroporto de Stansted fica no meio de lugar algum. A melhor forma para ir até o centro de Londres (Victoria Station) é via trem e a viagem leva 55 minutos. Imaginando que se eu tivesse sorte eu teria 30 minutos para passear no centro e voltar ao aeroporto para fazer o chec-in do meu vôo para Veneza. Assim resolvi ficar pelo aeroporto mesmo. Vamos deixar para conhecer Londres em outra oportunidade.

Sábado 30 de setembro de 2005, por volta das 22:15, o avião pousava em Veneza, mais precisamente em Treviso uma cidade a 60 km. Esta foi mais uma aterrisagem bruta (será esse o meu carma?) e ainda tive que aguentar algumas pessoas que aplaudiram. Minha melhor explicação para esse ato insano foi o medo, pois inguém em plena consciência aplaudiria aquilo, mas blz... vivo e pronto pra próxima.

Logo ao adentrar no aeroporto já senti o clima italiano no ar. Bem diz a lenda q a Itália é um dos países mais desorganizados da Europa (concordo!!). O aeroporto mais parecia o hall de uma rodoviária de uma cidade do interior de SC com 2.873 habitantes. Pelo menos foi fácil encontrar o guichê para comprar o bilhete de ônibus que me levaria até a estação de trem de Mestre (15 km de Veneza), para então pegar um taxi e ir ao meu hotel. No momento da compra aproveitei para pedir algumas dicas e segundo a mulher que me atendeu eu deveria saltar na segunda parada.
- “dovrebbe saltare nella seconda fermata”, disse ela.

Um fato curioso na Itália é que apesar de vc fazer as peguntas em inglês praticamente todas as pessoas vão responder em italiano :-p

Embarquei no ônibus e comecei a segunda etapa da aventura na terra dos meus ancestrais. Na seconda fermata desci do ônibus e mostrei o endereço do hotel para o motorista, foi quando ele disse:
- “avrebbe dovuto saltare nella prima fermata” (eu deveria ter saltado na primeira parada).

Ok, ok, ok... ficar puto da vida não iria resolver o meu problema, mas o que me preocupava é que já estava ficando tarde... fui até uma central de informações não muito longe de onde eu estava para tentar descobrir como voltar a Mestre, foi quando a moça que estava ao lado daquela mulher q estava me atendendo disse:
- “Lei dovrebbe prendere l'autobus numero due”.

Comprei o bilhete e as 23:45 o ônibus número 2 começava a viagem de volta. Mais uma viagem de 25 minutos e cheguei na estação de trem de Mestre. Lá me deparei com mais uma particularidade italiana. No ponto de taxi trabalhavam apenas 3 taxistas e para minha infelicidade 5 minutos antes tinha chegado um trem sabe-lá-Deus-de-onde e tinha uma fila de mais de 20 pessoas esperando por taxi. Moral da história: quando cheguei no hotel já passava da 1:15 a.m.

Na manhã seguinte levantei cedo, tomei café e felizmente encontrei uma pessoa que respondia em inglês (ufa!!). O rapaz do hotel deu informações precisosas de como pegar o busão para voltar até a estação de trem de Mestre. Já na estação deixei minhas malas num guarda-volumes e peguei um trem até Veneza (finalmente).

Veneza!!!! Puts que cidade jóia, mas é como disse um conhecido:
- Veneza só tem esse charme por causa dos seus canais, caso contrário seria “mais uma cidade na Europa”.
De qqr maneira, valeu a pena.
Veneza, assim como Valência é uma cidade contrastes. Os contrastes de Valência estão nos prédios com mais de 2000 anos, as características da invasão dos turcos e os novos modelos arquitetônicos do arquiteto Santiago Calatrava. Já Veneza só tem velharia, água e igrejas (aquele povo gosta mesmo de rezar!) heheh... mas o contraste aparece após algumas esquinas daquele labirindo gigante. Após uma breve caminhada não é difícil encontrar imigrantes africanos vendendo “réplicas” das maiores marcas do mundo nas vielas da cidade, alguns metros adiante as lojas das maiores marcas do mundo de facto!

Bom... como muitos sabem, em Veneza vc tem duas maneiras de se locomover:
1 – andando ou
2 – de barco.

Opção 1, por favor!!! Sim... um passeio de gôndola pode custar 50 euros por pessoa. Existe também uma espécie de táxi aquático que custa 5 euros, mas está sempre lotado e o meu bom senso falou mais alto. Como resultado durante o dia andei, andei, andei e pra variar um pouco, andei.
No final do dia (20:22 exatamente) peguei o trem de volta para Liubliana.

quinta-feira, outubro 06, 2005

é...

Amanheci com as "3 marias" na testa... definitivamente voltei à puberdade.

terça-feira, outubro 04, 2005

Da série: as aventuras de um sem-noção - O diário de uma semana pela Europa (parte III)

Ainda na quarta-feira, combinamos com mais alguns colegas, 20 pessoas mais ou menos, de nos encontrarmos na Plaza del Ayuntamiento no centro de Valencscscscscscscsia para jantar. Depois de uma breve busca pelas redondezas achamos um restaurante em um calçadão e ficamos por lá mesmo. A cada 5 minutos aparecia um mendigo pedindo dinheiro ou um músico que fazia o seu show e depois passava agradecendo e pedindo $$ pra variar. Acho q se eu desse 1 euro pra cada cidadão que pediu eu teria decretado falência.

Conversa vai, conversa vem e mais uma fato inusitado... O assalto: Do nada o Ugo (italiano que mora e trabalha na Alemanha) levantou da mesa e abordou um carinha e 2 mulheres que estavam perto da nossa mesa. Na verdade o Ugo viu que enquanto as mulheres simulavam falar ao telefone o rapaz se abaixou e pegou algo da bolsa de uma das mulheres que estava na nossa mesa... quando todos deram conta do ocorrido foi aquele corre-corre. Bem... eu não podia ficar de fora dessa hehehe, mas ao invés de correr atrás do suposto ladrão eu corri para o outro lado procurando um policial ou algo do gênero... infelizmente nada. Depois de alguns minutos os “perseguidores” voltaram e aparentemente nada faltava na bolsa da mulher. 20 minutos mais tarde apareceu a polícia (meio tarde, né?).

Quinta-feira tive o dia livre para andar pela cidade. Deus sabe como andei!! Infelizmente apenas um dia não é suficiente pra vistiar todos os locais... mas blz. Visitei, entre outros, a Plaza del Toro – local onde são realizadas as touradas – e a Catedral de Valência, que segundo a Igreja Católica é onde está o Santo Grau. A partir deste momento eu não acredito em mais nada que o Dan Brown escreve ;-) afinal de contas eu vi o Cálice Sagrado!!!

segunda-feira, outubro 03, 2005

O diário de uma semana pela Europa - parte II

Aqui vale uma citação sobre a empresa aérea Ryanair.
1 – os preços são baratos, mas preste atenção q vc terá que pagar as taxas de aeorporto.
2 – todo e qualquer produto consumido no vôo será pago a parte.
3 – as poltronas são para pessoas com no máximo 1,80m, caso contrário suas pernas não cabem (felizmente eu escapei dessa).
4 – os pilotos deveriam praticar mais como aterrisar o avião, isso mesmo, aterrisagem!!! Todas as aterisagens foram um tanto quanto bruscas.
5 – os vôos saem quase sempre no horário e sempre lotados. Leia-se 95% dos lugares ocupados, pelo menos.

Bem... de volta ao texto: Valencscscscscscscsia. (a pronúncia é com a língua presa mesmo). Cheguei no horário previsto, porém com chuva (seria novidade??). Passado o susto da aterrisagem descobri que não existe nenhum toldo ou coisa do gênero pra esapar da água que despencava do céu. A solução foi pegar das duas malas de mão e dar uma corridinha do avião ao angar do aeroporto [comentário] eu tinha apenas bagagem de mão pois a conexão em londres era “apertada” e eu não teria tempo suficiente para espera por uma mala na esteira [fim-do-comentário]. Peguei um taxi direto pro hotel. No domingo deu tempo pra jantar e tomar um bom banho, na sequencia, CAMA, pois já passava da meia-noite!!

Segunda-feira começou a conferência. No final do dia tivemos um coquetel de abertura na sede da prefeitura. O prédio é simplesmente lindo!! Pós-coquetel eu e o Mohamed (um carinha da Argélia que mora na França atualmente) acompanhamos a Alexandra e a Michele (colegas do Brasil) numa “breve” visita em uma das lojas da rede “El corte Inglés”. O prédio tem 6 andares... 2 horas e ½ mais tarde estava chegando de volta no hotel. Jantei e fui dormir.

Terça-feira no final da manhã apresentei o meu artigo e a noite fomos jantar (jantar oficial da conferência) no oceanário. Lá eu comi a verdadeira Paella com direito a lagosta e vinho espanhol (que xique esse rapaz). Essa vida não é das mais fáceis, mas tem algumas coisas que compensam... o jantar, além de ser delicioso, foi muito divertido. Basicamente na nossa mesa estavam brasileiros (4 contando comigo) e uma colombiana... dai já viu... só pra ter noção nós eramos os mais barulhentos heheh. No fim do jantar voltamos andando para o hotel (cerca de 30 min).

Quarta-feira. Último dia da conferência e pelo menos uma curiosidade... duas “meninas” da Polônia apresentaram um artigo em conjunto. A apresentação delas foi no mínimo diferente. As moças estavam vestidas com a mesma roupa, tipo um uniforme e falavam em sincronia... explico: quando uma terminava de falar, a outra começava e assim por diante. Parecia um jogral da época do jardim de infância hehehe só faltou dar um pacinho para prente quando começava falar e um pacinho para traz quando terminava :-)

...continua...

domingo, outubro 02, 2005

O diário de uma semana pela Europa

Essa semana q passou foi realmente corrida, trabalhosa, divertida e no mínimo interessante. Não sei se vou conseguir escrever tudo o que tenho em mente o que presenciei pois o choque cultural, as línguas, os novos amigos, os antigos amigos e tudo mais pordem render páginas e mais páginas neste simples blog que alguém de vez em quando resolve ler :-)

Como de costume, começamos pelo inicio.
Dia 24/09 as 2:00 da manhã peguei o trem de Liubliana para Graz, mas antes disso tive que deixar todos os meus pertences devidamente empacotados e prontos para alguém fazer a minha mudança. Na semana anterior fui informado que eu teria que mudar de apartamento no meio da minha viagem... eita.
Já na estação de trem em Liubliana foi um verdadeiro “parto” descobrir em qual terminal eu deveria embarcar no trem para Graz. Mais uma vez valeu o meu ditado de que as pessoas precavidas valem por duas :-) Como cheguei uma hora antes tive tempo suficiente pra procurar.

Por volta das 6:15 da manhã cheguei em Graz – Austria (cidade natal do exterminador-do-futuro-e-atual-governador-da-California Arnold Shhhhhneger**).
Ao sair do terminal de trem peguei um taxi para ir até o hotel, logo descobri que eu teria problemas... o hotel onde eu fiz a reserva não ficava em Graz, mas sim em uma cidade ao lado, ou seja, dependia de taxi pra ir e voltar. Cada “corrida” custou em média 17 Euros. Tudo bem... vendo o lado bom, fiquei num hotel afastado e num local especialmente belo. O valor pago no taxi foi compensado com a bela vista no café da manhã.

Graz é uma cidade particularmente bonita. Existe o contraste entre o velho e o novo. Claro que como um bom turista eu tirei váaaaarias fotos (mais de 200 em menos de 8 horas andando pela cidade). A única reclamação é que no museu de armas do período medieval não é permitido tirar uma foto se quer... no dia seguinte logo após o café fui pro aeroporto beeeem cedo pq tinha que fazer o check-out antes das 10 da manhã. Moral da história, 4 horas esperando para voar para Londres.

Londres. O Avião taxiou no aeroporto e o tempo foi exatamente o necessário para passar pelo controle de imigração, descobrir onde ficava o balcão da compania aérea, fazer o check-in e correr para o portão de embarque. Em menos de 1:40 eu já estava no avião com destino a Valência.

** Se alguém souber como se escreve aquele sobrenome, por favor, me avisa!

...continua...