sábado, março 27, 2010

Fui para o inferno e voltei (duas vezes) (parte 2)

Eis que eu tive a brilhante idéia de comprar um chuveiro novo, então lá fui eu. Como eu não conheço direito a cidade e nem os “melhores” lugares pra essas coisas, fui onde eu sabia que iria encontrar o chuveiro que eu queria: um supermercado. As duas opções eram o Carrefour e o BIG. Bom... no Carrefour eu entrarei só em situações extremas, pois nas duas vezes que eu passei por lá eu perdi ao menos 30 minutos na fila. Ok, ok, a primeira vez a culpa foi minha, já que eu fui no sábado ao meio-dia, mas a segunda vez na tem desculpa! Eu fui cedo e não havia tanta gente assim, mas o gerente do estabelecimento achou por bem deixar apenas três caixas trabalhando.

Restou então o BIG. Como o próprio nome diz, o BIG é grande, muito grande e, como era de se esperar, cheio de gente. Andei, andei e andei até que cansei e não encontrei o chuveiro. Perguntei para uns funcionários e, depois de andar ainda mais, encontrei os chuveiros literalmente escondidos perto da prateleira com os pneus.

Jóia!!! Chuveiro no carrinho parti para o caixa. Desviei de uns retardatários como crianças que corriam, velhinhas que conversavam, uns três torcedores do Internacional que discutiam o desempenho do time, outros três ou quatro torcedores do Grêmio que vangloriavam o desempenho do time no campeonato gaúcho (todos no meio dos corredores) até que finalmente cheguei ao caixa.

Desta vez a caixa foi eficiente e tudo correu bem. Agora eu estava livre para voltar pra casa e instalar o novo chuveiro, certo? Errado! Para poder ter a garantia do produto eu deveria passar no setor de informações e pegar a nota fiscal. Fui até o tal setor (inferno parte 1), peguei a senha (número 55) e para a minha tristeza eu ouvi a atendente chamar: Número 40! Havia 15 pessoas na minha frente. Todos com um humor, no mínimo, questionável, já que o esse setor é dedicado também as reclamações. Aproximadamente 40 minutos mais tarde, fui atendido. Passei todos os dados e finalmente consegui sair do mercado.

Já em casa, guardei as outras compras e fui instalar o novo chuveiro, mas não foi possível. Na embalagem veio apenas o chuveiro. Nada de manual, nada de mangueira e nada do bastão usado para regular a temperatura.

Respirei fundo, olhei pra cima e perguntei “porque comigo??”

30 minutos mais tarde, depois de escapar de uns três motoqueiros malucos, lá estava eu no balcão do inferno. Dessa vez foi a senha cento e alguma coisa.... outra espera e eu pude contar o que havia acontecido. Então a “moça” chamou uma responsável para ver o meu problema. A tal responsável chegou quase 10 minutos mais tarde, olhou o chuveiro e a nota e, dizendo algo enquanto virava na direção contrária, saiu andando. Eu? Fiquei lá esperando. Uns 15 minutos depois ela reapareceu e disse:

“-Lamento senhor, mas estamos em falta desse produto.”

(continua...)

4 comentários:

Desabafando disse...

Caramba, sério mesmo que isso aconteceu? Parece que tudo que pode dar errado, dá errado contigo..rsrsrs...

Arthurius Maximus disse...

Nada como uma "Via Crucis" para marcar uma data em nossas vidas. (rs)

Olívia Yale disse...

eu juro q nao sei nem o q comentar!
pensei que tinha sido uma merda quando precisei passar quase duas horas numa fila de banco, agora estou em condiçoes de nao reclamar!
rss
Adorei o blog.
OY

Razek Seravhat disse...

Nada contra chuveiros. Mas já pensou quando começar a faltar as coisas mais essenciais.

Imagino que temos que começar repensar esse modo de produção.
Concorda?

Se quiser continuar o papo. Retribua a visita. Siga o voo da esperança.