terça-feira, março 10, 2009

A saga de uma passagem

Quando eu comprei a minha passagem pra França eu marquei a volta ao Brasil para o dia 11/03/2009.

Então alguém pergunta: Porque essa data?
A resposta é simples: o sistema não permitia (na época da compra) marcar depois dessa data. A solução seria então remarcar a passagem. E foi assim que tudo começou...

Segunda-feira da semana passada falei com o pessoal da agência de viagens (no Brasil) que vendeu as passagens. Eu queria saber o preço e a forma de transferir a data da viagem. A resposta foi:
U$ 120.00 + a diferença de tarifa (parece que o preço do combustível para avião subiu e a passagem também)

Decidi então que seria melhor ligar diretamente na Swiss Airlines e ver isso diretamente com eles, numa dessas eu poderia negociar. Dito e feito, o preço mudou para U$ 100.00 + a diferença de tarifa. Porém eu não consegui terminar a transação pq meus créditos do celular acabaram. A ligação custava 0.25 centavos por minuto e eu fiquei quase 20 minutos aguardando o atendente "verificar o status da minha passagem". Obviamente que eu fiquei "putificado" da vida por gastar um monte e ainda terminar sem nada nas mãos (famoso barato que sai caro).

Resolvi então ir ao aeroporto (1 h de ônibus) pra fazer isso diretamente no balcão de vendas. Chegando lah eu expliquei a situação e a senhora que me atendeu disse que a passagem não era transferível, ou seja, viaja ou perde. Conversa daqui, verifica dali e finalmente ela viu que a passagem era sim transferível. Passaram alguns minutos e quase tudo pronto, menos o trecho São Paulo - Florianópolis. Segundo ela, eu deveria falar diretamente com a TAM que é empresa responsável pelo meu vôo doméstico. Custo total U$ 75.00!! (pelo menos isso).

Voltei pra casa (1 h de ônibus) e liguei pra agência de viagens, contei toda a historia e depois de uns 15 minutos pelo skype veio a bomba. "A agência da Swiss cometeu um erro, eles fizeram desaparecer o seu trecho São Paulo - Florianópolis". A única solução era voltar ao aeroporto pra verificar o que havia acontecido.

Então lah fui eu novamente (outra 1 h de ônibus), contei toda a historia para outra senhora e a resposta foi: "realmente, a minha colega cometeu um engano". Jah dah pra imaginar a minha cara na hora que ela falou isso...

Bom... tirando o estresse de quase perder o trecho São Paulo - Florianópolis, as horas no ônibus e mais de meio dia perdido pra resolver um coisa "rapidinha", no final tudo deu certo.


P.S. porque sera que 90% das vezes que eu estou no ônibus tem um abençoado que esta fedendo cigarro perto de mim? --> claro... isso soh acontece nas viagens mais longas.
P.P.S. sim, Murphy existe!

4 comentários:

gesser disse...

Já fez as contas pra ver se com o telefone, idas, vindas e tudo mais não deu mais do que os 120 iniciais??
Melhor nem fazer, hehe.

Abraço!

Aline disse...

Nossa, Murphy não só existe como guia a sua vida, hehehe! Mas, pensando bem, morar na França não é coisa de pessoa azarada!
E, no final das contas, pra quando ficou a sua volta?

Beijos

Rui Jorge disse...

Eu também passei por isso, só que levei alguns dias pra resolver. No entanto, foi mais tranquilo: o meu maior problema foi manter a franquia original das passagens. Além disso, a atendente foi prestativa e chegou até a ligar para a agência no Brasil.

Leandro disse...

Soh pra constar, da segunda vez que eu fui no aeroporto eu consegui recuperar o trecho São Paulo - Florianopolis.

O total dessa brincadeira (indo e voltando,etc) saiu por U$ 97.50

A volta estah marcada para a segunda semana de dezembro.

... pois é, na Swiss eles disseram que eu tenho direito a 2 malas de 23 quilos cada uma, jah a agência de viagens do Brasil disse que eu tenho direito a 2 malas de 32 quilos cada.

Em dezembro eu descubro qual deles tem razão :-)