terça-feira, dezembro 01, 2009

Da agua para o vinho (ou para o vinagre)

Na minha viagem pra Eslovênia eu reencontrei uma amiga, dai sabe como é... após 4 anos sem ver alguém, os assuntos podem ser dos mais variados mas também dos menos interessantes pois você não faz parte da rotina daquela pessoa. Então o óbvio aconteceu, começamos a falar do passado e foi ela que tirou uma história que estava no canto escuro do porão da minha memória.

Em agosto de 2005 eu dividi um apartamento com essa menina, um outro rapaz da Macedônia e mais uma pessoa da Índia (eita mistura!). Num certo dia o indiano resolveu sair com alguns amigos e nós três ficamos por casa. Depois de um tempo resolvemos que iriamos ver uma ópera e na sequência para um local, digamos, mais alternativo para encerrar a noite.

Se alguém ja' teve a oportunidade, sabe que o ambiente da ópera é uma coisa única. Pessoas bem vestidas, luxo e muito brilho. Apesar de termos comprado o ingresso mais barato que nos permitia ficar em um dos cantos e em pé (vida de estudante é foda), foi possível apreciar os 3 atos da obra (que eu não lembro qual foi).

Até ai tudo correu bem. O problema foi a minha idéia de camelo de ir pra um local chamado Metelkova. Metelkova é uma área onde havia uma base militar na época que a Eslovênia fazia parte de Iugoslavia. Quando a Eslovênia declarou independência, o exército Iugoslavo abandonou a base militar e la' virou uma terra de ninguém.

Um povo mais alternativo (por assim dizer) invadiu o local e transformou aquilo em uma área onde tudo pode. Alguém lembra do filme "Fuga de Nova York"?, pois... eu acho que o Metelkova se inspirou no filme... mas o mais importante é que este é (ou costumava ser) um local com boa musica. Na verdade haviam 5 "locais" dentro do Metelkova com estilos que variavam do Trash Metal (yeahhhh - Ratos de Porão ja' tocou la') até musica eletrônica e reggae. Nesse local também existia uma prisão que foi transformada em um hostel (fica a dica de visita porque é muito interessante).

Voltando ao assunto... agora imagine você saindo de uma Opera e indo pro Metelkova. Como eu ja' sabia o que me esperava, eu não dei muita atenção, mas os meus amigos quase tiveram um ataque do coração quando viram o onde estávamos (eles eram novos na cidade). O trauma foi tão grande que quando eu encontrei essa amiga há um mês atrás, ela disse que nunca mais passou por perto do Metelkova.

Que fase !

P.S. - So' pra constar, eu consigo apreciar os dois locais: tanto a opera, quando o Metelkova ;-)

4 comentários:

Desabafando disse...

Que interessante....vc gosta desde esse lugar esquisito até Opera...rsrsrs...bem eclético..rsrsrs...

Obrigada pelos votos de aniversário, fiquei muito feliz com o comentário e sei que foi sincero! :-)

Déia disse...

Oi Le,

É, tem gente que não gosta de ver a história nua e crua...

Sou como vc, vejo o bom e o " mau" todos os dias...

bj

Arthurius Maximus disse...

Também me sinto assim. Gosto e escuto as vezes. Mas elejo "momentos" para isso.

溫嵐Landy disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.