quinta-feira, maio 14, 2009

ela, sempre ela

Reencontrei ela na madrugada de domingo pra segunda e passamos algumas horas juntos. Felizmente isso não atrapalhou a minha rotina na segunda-feira.

Na noite de segunda pra terça ela estava la' em casa mais uma vez. Por causa dela, levantar na terça de manhã foi um sacrifício. Me arrastei pra fora da cama e mesmo assim cheguei no serviço atrasado. Durante aquele dia eu pensei nela varias vezes. Como era de se esperar, na terça a noite ela estava mais uma vez comigo.

Passamos outra noite juntos e eu confesso que isso começou a me perturbar. Durante todo o dia de ontem eu lembrei dela, principalmente nos momentos menos apropriados do meu dia. Nas horas que eu precisava de mais concentração, ela voltava à minha cabeça. Cheguei a conclusão: "Isso definitivamente tem que acabar".

Noite passada ela estava comigo novamente, mas ontem eu estava decidido a acabar com tudo e colocar a minha vida em ordem, afinal o meu dia-a-dia ja' esta' sendo prejudicado por ela. Ja' na cama eu falei em voz alta:
- Não quero mais você aqui!

Porém, isso não adiantou e ela ficou boa parte da noite comigo. Fui obrigado a sair da cama as 5:30, pois ela não me deixava em paz. Sinceramente não sei o que fazer pra me livrar dessa insônia.

8 comentários:

Magui disse...

Nem me fale, tenho dormido pessimamente.

Arthurius Maximus disse...

Somos dois. Mas, no meu caso, ela venceu. Me transformei num zumbi e opero "nas madrugadas".

Rui Jorge disse...

Ela tá sempre comigo também. Mas eu pensava que ela iria embora após o doutorado! :-)

Leandro disse...

o doutorado ja' foi, mas ela não :-)

Aline disse...

Leite quentinho, escuro e televisão bem baixinha em um programa bem chato. É tiro e queda! ;)

Desabafando disse...

rsrsrsrs...juro que achei que você estava falando de uma mulher....muito bem escrito! Pra insônia eu tento sempre ler um livro chato, tem que aprender a desligar a cabeça dos problemas.

Fernanda! disse...

Ler deitado só com aluz do abaju, é tiro e queda...Eu não tenho nem uma afinidade com ela nem ela comigo.


Belo texto!

Um abraço

Philip Rangel disse...

Noss as vezes isso ataca todo mundo...a rotina cansa ne..mata..destroi...é ter paciencia...muita...

abraçao